SAÚDE NO CONTEXTO DA INTER-RELAÇÃO PÚBLICO-PRIVADO: UM BEM PÚBLICO, UM BEM DE CONSUMO OU UM DIREITO HUMANO FUNDAMENTAL COM VISTAS À UNIVERSALIDADE?

Elda Coelho de Azevedo Bussinguer, Shayene Machado Salles

Resumo


A partir de uma análise de conjuntura da saúde no contexto da relação público-privado, a pesquisa se propõe a adentrar o processo, em contínuo movimento, do desenvolvimento das políticas públicas de saúde. Buscamos promover uma análise a partir do que consideramos uma das condições determinantes para apreensão de sua transformação, a saber: a concepção que sustenta sua práxis. Nesse sentido, apresentamos três categorias juridicamente construídas – “saúde como bem público”, “saúde como bem de consumo” e “saúde como Direito Humano Fundamental” – visando a esclarecer a concepção de saúde suscitada por cada uma delas, a partir da construção teórica de suas premissas e características fundantes. Pretendemos identificar os elementos constitutivos  da categorização da concepção de saúde que alicerça o desenvolvimento de políticas tipicamente neoliberais, uma vez que o alinhamento da política de saúde à proeminência do privado sobre o público tem alertado quanto a um possível retrocesso no âmbito dos direitos sociais, impondo-nos, especialmente, quanto ao setor saúde, questionar os rumos a que temos sido direcionados, em flagrante fragilização de fundamentos erigidos na Reforma Sanitária, tais como o princípio da Universalidade que alicerça o Sistema Único de Saúde.

Palavras-chave


Relação Público-privado. Saúde como bem de consumo. Saúde como bem público. Saúde como Direito Humano Fundamental. Cobertura universal.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Teoria da argumentação jurídica: a teoria do discurso racial como teoria da fundamentação jurídica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SAÚDE COLETIVA (ABRASCO). Jairnilson Paim fala das tensões ideológicas da saúde na conjuntura atual. Abrasco, 17 maio 2016. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/2016/05/jairnilson-paim-fala-das-tensoes-ideologicas-da-saude-na-conjuntura-atual/. Acesso em: 18 jun. 2016.

BAHIA, Ligia. A privatização no sistema de saúde brasileiro nos anos 2000: tendências e justificação. In: SANTOS, Nelson Rodrigues dos; AMARANTE, Paulo Duarte de Carvalho (Org.). Gestão pública e relação público privado na saúde. Rio de Janeiro: Cebes, 2010. Disponível em: http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2013/10/gestao-publica-e-relacao-publico-privado-na-saude.pdf. Acesso em 15 ago. 2016.

BAHIA, Ligia; SCHEFFER, Mário. Representação política e interesses particulares na saúde: a participação de empresas de planos de saúde no financiamento de campanhas eleitorais em 2014. Relatório de Pesquisa. Disponível em: http://cebes.org.br/site/wp-content/uploads/2015/03/Planos-de-Saude-e-Eleicoes-FEV-2015.pdf. Acesso em: 18 jun. 2016.

BAUMAN, Zygmunt. O mal estar da pós-modernidade. Jorge Zahar Editor. Rio de Janeiro, 1997.

BAUMAN, ZYgmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BARRETTO, Vicente de Paulo. Reflexões sobre os direitos sociais. In: SARLET, Ingo Wolfgang. Direitos fundamentais sociais: estudos de direito constitucional, internacional e comparado (Org.). Rio de Janeiro: Renovar, 2003. p. 112.

BONAVIDES, Paulo. Do país constitucional ao país neocolonial: a derrubada da Constituição e a recolonização pelo golpe de Estado institucional. São Paulo, Malheiros, 2009. p. 138.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF, 5 out, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 02 jul.2016.l

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Departamento de Economia da Saúde, Investimentos e Desenvolvimento. Glossário temático: economia da saúde. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/glossario_tematico_economia_saude.pdf. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Notícias do STF: Convênio do poder público com organizações sociais deve seguir critérios objetivos. Supremo Tribunal Federal, Brasília, 16 Abr., 2015. Disponível em: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=289678. Acesso em: 03 jul. 2016.

CANCIAN, Natália. Ministro da Saúde defende plano de saúde ‘popular’ para aliviar o SUS. Folha de S. Paulo, 6 set. 2016. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/07/1789101-ministro-da-saude-defende-plano-de-saude-mais-popular-para-aliviar-o-sus.shtml. Acesso em: 18 ago. 2016.

COTTA, Rosângela Minardi Mitre et al. Políticas de saúde: desenhos, modelos e paradigmas. Viçosa-MG: Editora Ufv, 2013.p. 27.

DEL NERO, Carlos R. O que é economia da saúde. In: PIOLA, Sergio Francisco; VIANNA, Solon Magalhães (Org.). Economia da saúde: conceitos e contribuição para a gestão da saúde. Brasília: Ipea, 1995. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=5329. Acesso em: 20 jun. 2016.

GADELHA, Paulo; CARVALHO, José Noronha de; PEREIRA,Telma Ruth. (Org.).A saúde no Brasil em 2030: diretrizes para a prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro. Rio de Janeiro: Fiocruz/Ipea/Ministério da Saúde/Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, 2012. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/sites/portal.fiocruz.br/files/documentos/miolo_saude_brasil_2030.pdf. Acesso em: 19 jun. 2016.

ESCOREL, Sarah; TEIXEIRA, Luiz Antonio. História das política de saúde no Brasil de 1822 a 1963: do império ao desenvolvimentismo populista. In: GIOVANELLA, Ligia et al. (Orgs.). Políticas e sistemas de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2012. p. 279-322.

FLEURY, Sonia; OUVERNEY, AssisMafort. Política de saúde: uma política social. In: GIOVANELLA, Lígia et al. (Org.). Políticas e sistema de saúde no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2008. p. 23-64.

GARRAFA, Volnei. Reflexão sobre políticas públicas brasileiras de saúde à luz da bioética. In: FORTES, Paulo Antônio de Carvalho; ZOBOLI, Elma Lourdes Campos Pavone (Org.) Bioética e saúde pública. São Paulo: Loyola, 2003.

KROHLING, Aloísio. Direitos humanos fundamentais: diálogo intercultural e democracia. São Paulo: Paulus, 2009. p. 44.

LEAL, Rogério Gesta. Condições e possibilidade eficaciais dos direitos fundamentais sociais: os desafios do poder judiciário no Brasil. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2009. p. 61.

LOBATO, Lenaura de Vasconcelos Costa. Políticas sociais e de saúde. Rio de Janeiro: Cebes, 2012.

MINISTÉRIO DA SAÚDE; FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Público x privado. PenseSUS: A reflexão fortalece essa conquista, Rio de Janeiro: Fiocruz. Disponível em: http://pensesus.fiocruz.br/publico-x-privado. Acesso em: 19 jun. 2016.)

NORONHA, José Carvalho de; SOARES, Laura Tavares. A política de saúde no Brasil nos anos 90. Ciência & Saúde Coletiva, v. 6, n. 2, p. 445-450, 2001.

OLIVEIRA, Edward Meirelles de. Sistema Único de Saúde (SUS): contradições determinadas pelo desenvolvimento das forças produtivas da sociedade. 2015. Tese (Doutorado em ciências) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Relatório Mundial de Saúde 2010: financiamento dos sistemas de saúde: o caminho para a cobertura universal. Genebra: Organização Mundial da Saúde (OMS), 2010. Disponível em: http://www.who.int/eportuguese/publications/WHR2010.pdf?ua=1. Acesso em: 18 ago. 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Relatório Mundial da Saúde 2013: pesquisa para a cobertura universal de saúde. Genebra: Organização Mundial da Saúde (OMS), 2014. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/85761/26/9789248564598_por.pdf. Acesso em: 17 ago. 2016.

PAIM, Jairnilson Silva. Alguns pontos para o debate sobre possíveis impactos da crise econômica na saúde. In: SANTOS, Nelson Rodrigues dos; AMARANTE, Paulo Duarte de Carvalho (Org.). Gestão pública e relação público privado na saúde. Rio de Janeiro: CEBES, 2010. p. 284-287.

PAIM, Jairnilson Silva (Org.). O que é o Sus. Rio de Janeiro:Fiocruz/Faperj, 2015. (Coleção Temas em Saúde Interativa).

PERIM, Maria Clara Mendonça. Organizações Sociais e a diretriz da complementaridade: desafios da participação social na saúde. 1. ed. Curitiba: CRV, 2014.

PIOVESAN, Flavia; VIEIRA, Renato Stanziola. Justiciabilidade dos direitos sociais e econômicos no Brasil: desafios e perspectivas. Revista Iberoamericana de Filosofia, Política y Humanidades, n. 15, pp.128-146, abr., 2006. p.131.

QUEIROZ, Paulo. A propósito do bem jurídico protegido no tráfico de drogas e afins.Pauloqueiroz.net,10 nov., 2009. Disponível em: http://www.pauloqueiroz.net/a-proposito-do-bem-juridico-protegido-no-trafico-de-droga-e-afins/. Acesso em: 22 jun. 2016.

RIZZOTTO, Maria Lúcia Frizon. Neoliberalismo e saúde. In: PEREIRA, Isabel Brasil; LIMA, Julio César França. Dicionário da educação profissional em saúde. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, 2009. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/neosau.html. Acesso em: 19 jun. 2016.

SECCHI, Leonardo. Políticas públicas: conceitos, esquemas de análise, casos práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

SANTOS, Boaventura de Sousa; CHAUÍ, Marilena. Direitos humanos, democracia e desenvolvimento. São Paulo: Cortez, 2014.

TELLES, Vera da Silva. Direitos sociais: afinal do que se trata? Belo Horinzonte: Ed. UFMG, 1999.p. 173. Disponível em:https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=_36r6RZaHcAC&oi=fnd&pg=PA7&dq=direitos+sociais+e+capitalismo&ots=tcoDRhWV3l&sig=U9B29eCoe6kSZRot-I3H5l7aoFw#v=onepage&q=direitos%20sociais%20e%20capitalismo&f=false. Acesso em: 20 fev. 2015.

VILAS BOAS, Gabriela. Políticas públicas também tratam a saúde como mercadoria no Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, nov, 2015. Disponível em: http://ribeirao.usp.br/?p=5217. Acesso em: 18 ago. 2016.

VERONESE, Alexandre. O debate que ocorre sobre a constitucionalidade das OSs. Consultor Jurídico, 25 abr. 2015. Disponível em: http://www.conjur.com.br/2015-abr-25/alexandre-veronese-debate-ocorre-constitucionalidade-oss. Acesso em: 23 jun. 2016.

VERONESE, Alexandre. Reforma do Estado e Organizações Sociais: a experiência de sua implantação no Ministério da Ciência e Tecnologia. Belo Horizonte: Fórum, 2011. 230 p.

WEBER, Max. Textos selecionados. São Paulo. Abril Cultural: 1980, 268 p. (Coleção Os Pensadores).

WOLFART, Graziela; KLEY, Rafaela; MAGALHÃES, Thamiris. Cidadania: caminho para a concretização das igualdades sociais. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, São Leopoldo, RS. Disponível em: http://www.ihuonline.unisinos.br/index.php?option=com_content&view=article&id=4068&secao=373. Acesso em: 17 ago. 2016.




DOI: https://doi.org/10.25192/issn.1982-0496.rdfd.v23i2996

Apontamentos

  • Não há apontamentos.