BRUTALIDADE DA MAIORIA E DEMOCRACIA CONSTITUCIONAL: Reflexões sobre o Estatuto da Família e a PEC da Maioridade Penal

Ana Paula Oliveira Avila

Resumo


Este trabalho propõe reflexões sobre as deliberações parlamentares em dois projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional Brasileiro: o Estatuto da Família e a PEC da Maioridade Penal. Propõe-se um exame à luz de conceitos desenvolvidos na teoria política, de tirania e brutalidade da maioria. Em uma análise fundada em pesquisa qualitativa e exploratória e na técnica do estudo de casos, parte-se da definição de brutalidade para o exame das técnicas de contenção, presentes no desenho institucional adotado pelos estados e no discurso dos direitos humanos e fundamentais. Em seguida, aprofunda-se o exame de uma das técnicas em particular –o controle judicial da atividade legislativa–, expondo-se os aspectos mais críticos em relação a esta atividade e sua contribuição para o exercício legítimo e equilibrado da democracia. Nas conclusões, serão pontuadas as inadequações substanciais do Estatuto da Família e da PEC da Maioridade Penal e, com base na jurisprudência consolidada do STF, revela-se o que se pode esperar do Tribunal caso seja provocado para examinar as leis decorrentes da aprovação final desses projetos.

Referências


AVILA, Ana Paula Oliveira. Técnicas de Decisão na Jurisdição Constitucional e Garantia de Direitos Fundamentais das Minorias pelo STF. In Revista Novos Estudos Jurídicos – Eletrônica, Vol. 20, n.2, mai-ago 2015.

AVILA, Ana Paula Oliveira; WIERZCHOWSKI, Mariana. “Fair Play” Judicial na efetivação dos direitos sociais: da crítica ao ativismo judicial concretista à defesa do controle material das leis orçamentárias pelo Poder Judiciário. In Revista Direitos Fundamentais & Justiça, Ano 7, n. 23, Abr/Jun 2013.

AVILA, Humberto. Teoria dos Princípios. 16a Ed. São Paulo, Malheiros, 2015.

ATALIBA, Geraldo. Judiciário e Minorias. In Revista de Informação Legislativa, ano 24, n. 96, out/dez 1987.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia: uma defesa das regras do jogo. Trad. Marco Aurélio Nogueira. 6.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

BONAVIDES, Paulo. Ciência Política. 10. Ed. São Paulo: Malheiros Editores, 1994.

COMPARATO, Fabio Konder. A afirmação Histórica dos Direitos Humanos. São Paulo: Saraiva, 2013.

COTNER, Ben; WHITE, Ryan (Diretores).THE CASE Against 8. HBO Documentary Films. 2014. Documentário Biográfico. 109 min.

DAHL, Robert; SHAPIRO, Ian; CHEIBUB, José Antonio. The Democracy Sourcebook. Cambridge: MIT Press, 2003. (Kindle Edition)

DORNELES, Carlos. Bar Bodega – Um Crime de Imprensa. Rio de Janeiro: Globo Editora, 2007.

DUQUE, Marcelo Schenk. Curso de Direitos Fundamentais. São Paulo, RT, 2014.

DWORKIN, Ronald. Freedom’s Law. The moral reading of the American Constitution. Cambridge: Harvard University Press, 1996.

DWORKIN, Ronald. Uma Questão de Princípio. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ELSTER, Jon. Tyranny and brutality of the majority. In Elster, Jon (org.) Majority Decisions: principles and practices. New York: Cambridge University Press, 2014. Kindle Edition.

ELSTER, Jon. Ulisses Unbound: Studies in Rationality, Precommitment, and Constraints. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

ELY, John Hart. Democracy and Distrust – A Theory of Judicial Review. Cambridge: Harvard University Press, 1998.

GRAU, Eros Roberto Grau, A ordem econômica na Constituição de 1988. São Paulo: Malheiros Editores, 14° ed. 2010.

GUASTINI, Riccardo. Teoría e ideología de la interpretación constitucional. Madrid: Minima Trotta, 2010.

GUTMANN, Amy; THOMPSON, Dennis. Democracy and Disagreement. In DAHL, Robert; SHAPIRO, Ian; CHEIBUB, José Antonio. The Democracy Sourcebook. Cambridge: MIT Press, 2003. (Kindle Edition), pp. 18 a 24.

HIRSCHL, Ran. Towards Juristocracy. Cambridge: Harvard University Press. 2004.

ISSACHAROFF, Samuel. The majoritarian threat do democracy – Constitutional Courts and the democratic pact. In Elster Jon (org.) In Majority Decisions: principles and practices. New York: Cambridge University Press, 2014. Kindle Edition.

MARTINS, Ives Gandra da Silva. em http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,juristas-e-igreja-contestam-a-decisao-do-stf-sobre-uniao-homoafetiva,715497 , publicada em 05.05.2011, capturada em 13.06.2014.

MELLO. Cláudio Ari, Democracia Constitucional e Direitos Fundamentais. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2004.

NOVAES, Jorge Reis. Direitos fundamentais: trunfos contra a maioria. Coimbra: Coimbra, 2006.

PAES, Alberto de Moraes Papaléo. Democracia, Controle de Constitucionalidade e Direitos Fundamentais – o novo centro de concentração do poder político. In Revista Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v. 17, n. 17 (pp. 68-90), 2015.

PIOVESAN, Flávia. Direitos Humanos e direito constitucional internacional. 5. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2015.

PIOVESAN, Flávia, SILVA, Sandro Gorski. Diversidade Sexual e Contexto Global: Desafios à Plena Implementação dos Direitos Humanos LGBTI. In Revista Quaestio Juris, Vol 08, n. 04, Número Especial. Rio de Janeiro: 2015. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/quaestioiuris/article/view/20949/15342

RAMOS. André de Carvalho. Curso de Direitos Humanos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

RAWLS, John. O Liberalismo Político. Rio de Janeiro: Ática, 2000.

RIOS, Roger Raupp. As uniões homossexuais e a “família homoafetiva”: o direito de família como instrumento de adaptação e conservadorismo ou a possibilidade de sua transformação e inovação. In civilistica.com – Revista Eletrônica de Direito Civil, Ano 2, n. 2, 2013.

SCHMITT, Carl. Teoría de la Constitución. México, Ed. Nacional, 1981, p. 205.

SARTORI, Giovanni. Que es la Democracia? (Trad. Miguél Ángel Gonzáles Rodríguez). México: Editorial Pátria, 1993.

SANTOS, Boaventura de Souza. Por uma concepção multicultural de direitos humanos. In Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 48, Junho 1997.

TOCQUEVILLE, Alexis de. Democracy in America. Kindle Edition; ELSTER, Jon. Tyranny and brutality of the majority. In Elster, Jon (org.) Majority Decisions: principles and practices. New York: Cambridge University Press, 2014. Kindle Edition.

WALDRON, Jeremy. Five to Four: Why do bare majorities rule on Courts? In Yale Law Journal n. 123:1692 (2013-2014). HeinOnline.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .