A INCONVENCIONALIDADE DA PEC Nº 36/2016 POR VIOLAÇÃO AOS DIREITOS DE PARTICIPAÇÃO POLÍTICA: UMA ANÁLISE DAS CLÁUSULAS DE BARREIRA A PARTIR DO CASO YATAMA VS. NICARÁGUA

Mônia Clarissa Hennig Leal, Felipe Dalenogare Alves

Resumo


O presente trabalho expõe o resultado de uma pesquisa bibliográfica, concebida a partir do método fenomenológico-hermenêutico, para fins de abordagem, e monográfico, a título procedimental, acerca do desenvolvimento da democracia e dos direitos de participação política, tendo por objetivo principal aferir a compatibilidade da PEC nº 36/2016 (que busca instituir as denominadas “cláusulas de barreira”) com Convenção Americana sobre os Direitos Humanos (CADH) e a interpretação dada a ela pela Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). No decorrer do trabalho, buscou-se o esclarecimento de pontos importantes que permeiam a temática, como o seguinte problema: essas cláusulas atentam ao estabelecido nas normas internacionais e na interpretação dada a elas pela CIDH? Para tanto, foram estudados temas essenciais à compreensão da noção de democracia e seu desenvolvimento, com o reconhecimento e proteção aos direitos de participação política, para, ao final, analisar-se a necessidade de proteção desses direitos, principalmente dos grupos desavantajados (minorias), fazendo-se uma análise comparativa entre os dispositivos da proposta de emenda e a decisão proferida pela CIDH no caso Yatama Vs. Nicarágua. Dentre os resultados encontrados, em sede de considerações conclusivas, verificou-se que as cláusulas de barreira contidas na PEC são inconvencionais, por afrontarem os direitos de participação política elencados na CADH e a interpretação dada a ela pela CIDH, resultante da falta de observância por parte do Estado brasileiro (neste caso por ato do Poder Legislativo) do que tem sido estabelecido pela CIDH.

Palavras-chave


Caso Yatama Vs Nicarágua, Cláusulas de barreira. Corte Interamericana de Direitos Humanos, Direitos de Participação Política, PEC nº 36/2016

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. A Política. Trad. Mário da Gama Kury. Brasília: EdUNB, 1985.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. 13. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

BOBBIO, Norberto. Qual democracia? Trad. Marcelo Perine. São Paulo: Loyola, 2014.

_____; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de política. v. I. Trad. Carmen C Varriale et al. Brasília: EdUNB, 1998.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

_____. Decreto nº 21.076, de 24 de fevereiro de 1932. Decreta o Código Eleitoral (Revogado). Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

_____. Decreto nº 592, de 6 de julho de 1992a. Promulga o Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

_____. Decreto nº 678, de 6 de novembro de 1992b. Promulga a Convenção Americana sobre Direitos Humanos (Pacto de São José da Costa Rica). Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

_____. Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995. Dispõe sobre partidos políticos. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

_____. Proposta de Emenda à Constituição nº 36/2016. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

CARPIZO, Jorge. El contenido Material de la democracia: tendencias actuales del Constitucionalismo Latinoamericano. In: BOGDANDY, Armin von. PIOVESAN, Flavia. ANTONIAZZI, Mariela Morales (Orgs.). Direitos Humanos, Democracia e Integração Jurídica na América do Sul. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

CARREIRÃO, Yan de Souza. Ideologia e partidos políticos: um estudo sobre coligações em Santa Catarina. In: Revista Opinião Pública. v. 12. n. 1. Campinas, 2006.

CIDH. Caso Yatama Vs. Nicarágua. Julgamento em: 23 junho de 2005. Relator: Antonio Augusto Cançado Trindade. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

CONJUR. Barroso defende cláusula de barreira para evitar a proliferação de partidos. Matéria de Fernando Martines. Edição de 17 de maio de 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2016.

DAHL, Robert A. Sobre a Democracia. Trad. Beatriz Sidou. Brasília: EdUNB, 2001.

DALMORO, Jefferson; FLEISCHER, David. Eleição proporcional: os efeitos das coligações e o problema da proporcionalidade. In: KRAUSE, Silvana; SCHMITT, Rogério (Orgs.). Partidos e coligações eleitorais no Brasil. São Paulo: EdUNESP, 2005.

FREITAS, Daniel Dottes de. A participação política no contexto da proibição de retrocesso social. In: GORCZEVSKI, Clovis. Direitos Humanos e Participação Política. v. II. Porto Alegre: Imprensa Livre, 2011.

GARGARELLA, Roberto. Introducción. In: _____ (Comp.). Derecho y grupos desavantajados. Barcelona: Gedisa, 1999.

LEAL, Mônia Clarissa Hennig; ALVES, Felipe Dalenogare Alves. A Corte Interamericana de Direitos Humanos como indutora de políticas públicas estruturantes: o exemplo da educação em direitos humanos - uma análise dos casos Ximenes Lopes e Gomes Lund versus Brasil - perspectivas e desafios ao cumprimento das decisões. In: Revista do Instituto Brasileiro de Direitos Humanos. n. 15., 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2016.

LEAL, Rogério Gesta. As múltiplas cidadanias no Brasil: aspectos integrativos e fundamentalizantes sob a perspectiva constitucional. In: MONTEIRO, Matheus Vidal Gomes; AGUIAR, Renan; GARCIA, Ivan Simões (Orgs). Estado, Direito e Democracia: Perspectivas contemporâneas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2012.

MACHADO, Aline. A lógica das coligações no Brasil. In: KRAUSE, Silvana; SCHMITT, Rogério (Orgs.). Partidos e coligações eleitorais no Brasil. São Paulo: EdUNESP, 2005.

MÜLLER, Friedrich. A democracia em face da exclusão social. In: BOGDANDY, Armin von. PIOVESAN, Flavia. ANTONIAZZI, Mariela Morales (Orgs.). Direitos Humanos, Democracia e Integração Jurídica na América do Sul. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

NICOLAU, Jairo. Cláusula de Barreira em 2006. In: Jornal O Globo, edição de 24 de agosto de 2006.

OEA. Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem de 1948. Disponível em: . Acesso em: 29 jul 2016.

_____. Carta Democrática Interamericana. Aprovada em 11 de setembro de 2011. Disponível em: . Acesso em: 29 jul 2016.

ONU. Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. Disponível em: . Acesso em: 29 jul 2016.

_____. Comentário Geral nº 25 do Comitê dos Direitos Humanos, 1996. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2016.

ORTEGA Y GASSET, José. A Rebelião das Massas. Trad. Marylene Pinto Michael. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

PICADO, Sônia. Derechos políticos como derechos humanos. In: NOHLEN, Dieter et al (Comp). Tratado de derecho electoral comparado de América Latina. 2. ed. Ciudad de México: IDEA, 2007.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. O Contrato Social. Trad. Edson Bini. Bauru: Edipro, 2015.

SARLET, Ingo Wolfgang. Os direitos fundamentais (sociais) e a assim chamada proibição de retrocesso: contributo para uma discussão. In: ZIEMANN, Aneline dos Santos; ALVES, Felipe Dalenogare. A jurisdição constitucional e dos direitos fundamentais nas relações privadas: questões contemporâneas. São Paulo: PerSe, 2014.

SCHMITT, Rogério. Os estudos sobre alianças e coligações eleitorais na Ciência Política brasileira. In: KRAUSE, Silvana; SCHMITT, Rogério (Orgs.). Partidos e coligações eleitorais no Brasil. São Paulo: EdUNESP, 2005.

STF. Presidente do STF defende reforma política na conferência nacional da OAB. Publicado em: 20 de outubro de 2014. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2016.

_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1351/DF. Relator: Ministro Marco Aurélio. Julgamento em: 7 de dezembro de 2006. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2016.

_____. Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1354/DF. Relator: Ministro Marco Aurélio. Julgamento em: 7 de dezembro de 2006. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2016.

TSE. Presidente do TSE defende nova cláusula de barreira para conter a criação de partidos políticos. Publicado em: 10 de março de 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2016.




DOI: https://doi.org/10.25192/issn.1982-0496.rdfd.v23i21009

Apontamentos

  • Não há apontamentos.