A SOCIEDADE INTERNACIONAL E A PAZ POR MEIO DO DIREITO: O PAPEL DA JUSTIÇA PENAL INTERNACIONAL

  • Doutor Gilmar Antonio Bedin Unijui, Rio Grande do Sul, Brasil
  • Aline Michele Pedron Leves Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ
Palavras-chave: Direitos Humanos. Paz Mundial. Sociedade Internacional. Tribunal Penal Internacional.

Resumo

A sociedade internacional moderna, desde a sua formação na Paz de Westfália (1648), foi se transformando e, passando a admitir, cada vez mais, a intervenção de diversas organizações internacionais. Deste modo, é possível perceber a importância e a necessidade da criação dessas organizações internacionais para a mediação dos conflitos universais e sua solução pacífica. É neste contexto que emerge a luta pela criação de uma corte internacional para tratar dos crimes mais graves cometidos contra a humanidade (incluído o crime de genocídio e o crime de agressão). Tal reivindicação se materializou com a adoção do Estatuto de Roma (1998). Assim sendo, o presente artigo analisa os contornos da sociedade internacional contemporânea e a necessidade de buscar a paz por meio do direito. Daí, portanto, a escolha de problematizar a iniciativa da criação do Tribunal Penal Internacional (TPI) e seu papel na construção de uma paz mundial duradoura e voltada à proteção dos direitos humanos. Para tanto, o método de abordagem utilizado foi o hipotético-dedutivo e a técnica de pesquisa bibliográfica.

Biografia do Autor

Doutor Gilmar Antonio Bedin, Unijui, Rio Grande do Sul, Brasil
Doutor em Direito pela UFSC. Professor permanete dos Programas de Pós-Graduação em Direito da UNIJUÍ e da URI. Líder do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Globalização e Equidade.
Aline Michele Pedron Leves, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ
Mestranda em Direitos Humanos pela UNIJUÍ. Integrante do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Globalização e Equidade. Bolsista CAPES.

Referências

BEDIN, Gilmar Antonio. Estado de Direito e Relações Internacionais: é possível o direito substituir as relações de poder na sociedade internacional? In: BEDIN, Gilmar Antonio (Org.) et al. Estado de direito, jurisdição universal e terrorismo: levando o direito internacional a sério. (p. 13 - 36). Ijuí: UNIJUÍ, 2009.

BOBBIO, Norberto. O terceiro ausente: ensaios e discursos sobre a paz e a guerra. São Paulo: Manole, 2009.

BOBBITT, Philip. A guerra e a paz na história moderna: o impacto dos grandes conflitos e da política na formação das nações. Tradução de Cristiana Serra. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

CHOUKR, Fauzi Hassan; KAI, Ambos (orgs.). Tribunal Penal Internacional. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2000.

CLAUSEWITZ, Carl Von. Da Guerra. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

CRETELLA NETO, José. Teoria geral das organizações internacionais. São Paulo: Saraiva, 2007.

FERNANDES, David Augusto. Tribunal Penal Internacional: a concretização de um sonho. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

FERRAJOLI, Luigi. A soberania no mundo moderno: nascimento e crise do Estado nacional. Tradução de Carlo Coccioli e Márcio Lauria Filho. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GILBERT, Martin. A segunda guerra mundial. Tradução de Ana Luísa Faria e Miguel Serras Pereira. Córdova: Dom Quixote, 2009.

HOBBES, Thomas. Leviatã: ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. Tradução de Rosina D’Angina. 2. ed. São Paulo: Martin Claret, 2012.

ICC-CPI, International Criminal Court. Situations and Cases. 2017. Disponível em: <https://www.icc-cpi.int/Pages/cases.aspx>. Acesso em: 02 ago. 2017.

KANT, Immanuel. Ideia de uma história universal de um ponto de vista cosmopolita. Tradução de Rodrigo Naves e Ricardo Terra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KELSEN, Hans. A paz pelo direito. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

LAFER, Celso. A reconstrução dos Direitos Humanos: um diálogo com o pensamento de

Hannah Arendt. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

MENEZES, Wagner. Tribunais Internacionais: jurisdição e competência. São Paulo: Saraiva, 2013.

PERRONE-MOISÉS, Cláudia. Direito internacional penal: imunidades e anistias. Barueri, São Paulo: Manole, 2012.

SCHABBAS, William A. An Introduction to the International Criminal Court. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

TOTA, Pedro. Segunda Guerra Mundial. In: MAGNOLI, Demétrio (org.). História das guerras. (p. 355 - 389). São Paulo: Contexto, 2011.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. Os Tribunais Internacionais Contemporâneos. Brasília: FUNAG, 2013.

Publicado
2018-04-13